Home do site » Livros » Não Ficção » A estratégia do varejo sob a ótica do capitalismo consciente




rotulo

* clique na imagem para ampliar.
A estratégia do varejo sob a ótica do capitalismo consciente
ref: 16
Selecione o modelo:
de: R$37,99
por: R$35,99

Este livro faz parte da Coleção Varejo em Foco que reúne temas centrais para um varejo de vanguarda. Ela traz oito livros escritos por especialistas renomados em suas respectivas áreas. Você pode adquirir a coleção em nosso site.

O capitalismo é uma das maiores invenções do ser humano e enorme fonte de prosperidade? Ou, é uma ameaça à beira de destruir o planeta e desestabilizar a sociedade? Para o chairman do Instituto Capitalismo Consciente Brasil (ICCB), Hugo Bethlem, a resposta é sim para as duas perguntas e é preciso ter um equilíbrio entre essa dissonância.

Segundo ele, um novo olhar para o capitalismo é possível, é real, e está retratado neste livro, que compõe a coleção “Varejo em Foco”.

No livro, o autor faz uma análise sobre o ambiente do varejo como um dos mais propícios a colocar em prática a visão do “ganha-ganha-ganha”, proposto pelo CEO do Whole Foods Market, John Mackey e pelo professor emérito de marketing no Babson College (EUA), Raj Sisodia, fundadores do movimento Conscious Capitalism, em 2008, e que cada vez mais ganha corpo pelo mundo.

Bethlem discorre sobre a relação do varejo com cada stakeholder. Ou seja, com todos os agentes envolvidos direta ou indiretamente em uma relação de negócio, como os colaboradores, os clientes, os fornecedores, os concorrentes, o governo, a comunidade, o meio ambiente e os acionistas. “O varejo, principalmente o alimentar, se relaciona com todos”, diz. Ele apresenta casos reais e também fala como incorporou esse conceito à sua vida, após uma trajetória de décadas nas principais empresas do setor no País.

O prefácio do livro é assinado por Abilio Diniz, presidente do conselho de Administração da Península Participações, incentivador e entusiasta do movimento no País. Diniz faz questão de ressaltar o quanto o capitalismo consciente pode ser bom para as companhias, para os resultados e para a comunidade, e destaca que há muitos exemplos de sucesso, mas, quando o conceito é bem aplicado.